quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018

Muito triste essa história da Gibson está operando no vermelho

Muito triste essa história da Gibson está operando no vermelho!
Não faliu ainda como muita gente principalmente os You Tubers dizem, mas está bem próximo.
Você que não é músico talvez não entenda o que é isso, mas com certeza muita gente de diversos estilos do Rock ao Sertanejo adoram que seus guitarristas
toquem com uma guitarra Les Paul ou SG ou com um violão EJ200 por causa do seu maravilhoso e clássico som.
O que não contam que a Gibson é a "TOP" das guitarras e violões e por isso mesmo é a mais cara, até mesmo nos Estados Unidos!
Muita gente diz que o Brasil está em atrofiação cultural musical sim e realmente também acho isso e principalmente porque há "fatores ideológicos" por trás, mas o que não dizem que isso já vem de 1985 pra cá quando as gravadoras e as rádios começaram só querer "jabá"
e que se exploda ter talento ou não e isso ninguém admite e muitos músicos tem mais de 35 anos e ainda acham que vai acontecer algo como nos filmes La Bamba, A Fera do Rock, Rock Star ou The Wonders que um "empresário-fado-padrinho" vai cair do céu e os levaram para dentro de uma gravadora e finalmente vão ter sucesso, sendo que isso é uma realidade tão distante quanto era nos anos 90.


quinta-feira, 15 de fevereiro de 2018

5 dicas de equipamentos básicos para começar a gravar!

1.Pense no que você quer
Primeiramente você quer o quê?
Um Home Studio?
Um pequeno estúdio?
Um estúdio para Jingles?
Um estúdio para canal na internet? (Do tipo You Tube)
Afinal o que você quer?
Isso são perguntas que você deve responder para não comprar equipamentos desnecessários!
A maioria dos músicos hoje dia gostam também de ter seus canais na internet e por fim gastam em equipamentos de vídeo e acabam deixando o áudio para trás
e por isso você vê muitos "canais" onde o cara é um exímio músico, a qualidade do vídeo é boa e o áudio muito fraco! Por isso veja bem qual seu objetivo principalmente para não ficar gastando dinheiro em coisas que não iriam te trazer nenhum benefício!

sexta-feira, 9 de fevereiro de 2018

Rafael o KH vs Anício em 5 rounds: carnaval!

Olá Palconauta!
Ainda estou preparando o canal do You Tube e a demora é porque estou fazendo tudo em animação. Antes iria fazer algo do tipo react mas optei por animação porque acho me legal.
Enquanto isso, há dois dias atrás mandei um e-mail pro Anício Oliveira para debatermos algumas questões sobre música com intuito de só abrir sua mente.
Faz 10 anos que parei de tocar "ao vivo" e faz 10 anos que me dedico a gravação, o Anício pelo contrário ainda está na atividade e por isso divergimos e muitas coisas.
Essa nova "coluna" do blog você irá ver nosso "embates" que talvez eu leve para o Palco KHTV mas por enquanto vamos só deixar por aqui mesmo e nessa primeira postagem ambos irão comentar qual a sensação de "tocar carnaval" então, pegue uma cerveja e uns amendoins e acompanhe essa divertida disputa que não vale nada! Boa Leitura!

Round 1: como foi tocar o primeiro carnaval? 
Rafael O KH 
Eu só toquei um carnaval e foi uma loucura.
Uns amigos meus pegaram um bar que quiseram fazer um CarnaRock ou seja ao invés de tocar "samba, axé e pagode" tocamos rock e marchinhas de carnaval nesse estilo, "copiamos" essa ideia logo após ouvir o CD da banda Velhas Virgens justamente fazendo isso e estava crente no fracasso
desse evento, mas para minha surpresa foram 3 dias de casa cheia e até ganhamos bem para a época, embora poderíamos ter perdido um pouco mais.

Anício Oliveira
A primeira vez que toquei num carnaval foi em 2000 porque precisava de grana!
Minha namorada grávida do nosso primeiro filho (estava no quinto mês de gestação) e eu já tinha vendido tudo (incluindo minha Saveiro rebaixada que adorava) só para comprar um quarto de bebê e um estoque de fraldas para durar alguns meses! Sim, na casa dos meus pais havia só um quarto praticamente lotado de fraldas!
Tudo porque minha mãe nos assustou tanto com isso que eu minha namorada nos apavoramos. Naquele eu e ela ainda tínhamos nossa banda de pop rock que ainda ia durar alguns meses, mas estávamos fazendo tão poucos shows e ainda por cima ela intercalando com a faculdade
que sempre estávamos duro!
Eu só dava aula de música fora isso e ela trabalhava no consultório do tio que era um pediatra.
Nisso um amigo meu que era baterista apareceu uns meses antes com a ideia de montar uma banda no estilo "axé" só para tocar o carnaval e propôs isso para mim e para minha namorada e lógico que precisando da grana aceitamos a proposta sem pensar muito e assim tiramos um repertório todo de axé e marchinhas para tocar no carnaval.
Como tecladista convidei um aluno meu e o baixista foi outro amigo que estava numa situação parecida com a minha, pois ele e sua esposa tinha acabado ter uma menina.
O baterista arranjou 4 shows numa mesma festa e assim tocamos e pobre da minha namorada com um barrigão pulando sem parar pois o pessoal só queria saber de agito e festa e quando tudo acabava lá pelas cinco da manhã nos íamos pro hotel, dormíamos até as oito da noite e as nove e meia já tinha que tocar mais uma noite e quando chegou a terça-feira e tocamos nossa última noite eu dei
"Graças a Nossa Senhora Aparecida" e disse que nunca mais faríamos uma dessas.
Mas no outro no ano montamos novamente a mesma banda para tocar o carnaval de 2001.
e assim o 2002, 2003, 2006 até 2010.

terça-feira, 30 de janeiro de 2018

Mixagem: reverb herói ou vilão?

Desculpe a demora pelo meu canal no You Tube!
O fato é que estou planejando fazer uma coisa didática e diferente e já aviso a você que muitas das postagens que aqui neste blog estão farei nele de uma forma mais dinâmica e o melhor de tudo mostrando com o som em ação! Enquanto isso não acontece, recorde uma das minhas postagens de maior acesso em 2009! A 8 anos atrás....
Podem falar o que quiser, mas o erro mais comum do mundo pra quem começa a gravar é o reverb. Primeiramente, vou explicar como funciona esse efeito:
A aplicação reverb é simples: simula um ambiente pré-programado. Os mais comuns são o de plate (placa), room (quarto), hall (sala), spring (molas/salão) e church (igreja). A figura ao lado  mostra como funciona o reverb partindo de um local seco (totalmente isolado acusticamente).
Se o reverb simula um ambiente, o que fará no som? É simples: ele irá duplicar o som, dando a sensação de ser mais "intenso e grande" dependendo o ambiente simulado, por exemplo: numa igreja em qualquer local que você gritar quem estiver dentro da igreja irá ouvir você, devido ao "eco do local".
A maioria dos locais tem eco (reflexão) desde seu quarto até banheiro, o reverb existe exatamente para simular que tipo de ambiente você que que seu som "viaje".
As primeiras gravações com reverb eram muito estranhas.... Se você pegar gravações dos anos 50, 60 e 70 , parece que o cantor está "longe do microfone" pois quando reverb é muito carregado causa esse efeito e até hoje muita gente faz esse erro. Na década oitenta, como mostra o vídeo abaixo o reverb ainda era usado com bastante abuso no grande sucesso do grupo alemão Alphaville:

Alphaville - Forever Young (1984)


terça-feira, 16 de janeiro de 2018

Coluna do Anício: 10 dicas para se fazer uma música romântica

Enquanto o Rafael (editor do blog) fica enrolando com seu canal de vídeo...
Novamente eu posto outra postagem aqui, para você e vou começar a ela até de uma maneira pessoal. Meu filho está com 16 anos e está namorando uma colega de sala que tem 15 anos e acho que é o primeiro "namoro" sério de ambos e particularmente acho muito cedo para ele se amarrar porque quando tinha idade dele meu objetivo era ser um Jimmy Page ou um Robertinho do Recife e ficava ralando em cima da minha velha (e ainda usada)Gianinni Stratosonic e isso depois que ralava meia tarde num mercado (pois estudava na escola de manhã).
Já que estava esses dias vendo a "paixonite aguda dos dois" resolvi fazer uma postagem de 10 dicas como fazer um música romântica que embora eu não seja um compositor, tenho alguma experiência nisso pois já ajudei bastante pessoas a passar para "acordes e cifras" seus sentimentos amorosos e claro que não são "regras obrigatórias" (afinal a  música é sua e você escreve como quer para torna-la romântica pra você) então para você, uma ótima leitura!

1.Antes de sair escrevendo e compondo, treine a voz!
Porque sempre bato "nessa tecla" pelo simples motivo que a música atual (nem tanto pois isso já vem lá de 1950) foca na expressão dos sentimentos pela voz e infelizmente isso serve principalmente para os homens pois nosso controle com a voz é sempre mais rebelde. Uma mulher mesmo sendo desafinadaconsegue "enganar" nossos ouvidos mais fáceis seu timbre é mais suave embora isso não seja desculpa para uma garota cantar de qualquer jeito! Mas por experiência (e também por ser casado com uma cantora) sei que as mulheres afinam muito mais fáceis que nós.
A dica principal para o homem é tentar achar seu timbres em quatro etapas: a primeira a voz branca (a de fala como a de Luan Santana ou Djavan), a segunda a voz grave (Renato Russo, Kurt Cobain) a terceira a voz de cabeça (Freddie Mercury, Dio) e por fim a voz "Drive" (Bruce Dickson, Axl Rose) e pode ter certeza que em algum destes timbres a sua voz vai estar.
Muita vezes é mais fácil você achar sua voz tentando imitar a alguém do ir num teclado e ficar chutando se ela é baritono, Mezzo ou Tenor, porém um professor de canto
pode lhe dizer exatamente qual voz, lembrando que isso vale também para as mulheres pois tem uma voz mais fácil (teoricamente) de domar e lógico que um "autotune e melodyne" sempre ajudam pois se esse um "truque sujos" de muitos famosos, por que não usar? Se que ao vivo você vai ter que se garantir! Contudo não se sinta derrotado ou derrotada se tiver que dar sua música para outra pessoa cantar, afinal isso é uma das mais normais no cotidiano dos artistas.

sábado, 6 de janeiro de 2018

Quase Pronto!

Quase Pronto o Canal do 

Youtube do PALCO KH Home Studio!


Para conhecer o Embrião do canal clique aqui!


Espero colocar nos próximos dias nosso Primeiro Vídeo!



quarta-feira, 3 de janeiro de 2018

Coluna do Inicio: A Geração dos Graves

Olá Pessoas!!!
Primeiramente Um ótimo 2018! Que tudo que você quer se realize!
E agora vou dizer a você que não irei participar do canal do You Tube, do blog pois eu ainda sou meio "homem das cavernas" com isso, mas também não descarto uma futura participação, mas ainda irei escrever aqui na coluna do blog.
Hoje é dia 03 de janeiro de 2018 e esse foi primeiro ano novo depois de 12 anos que não toquei e sim peguei a patroa e os filhos e fui para casa dos meus pais que fica em Lins em São Paulo.
Foi uma virada tranquila com meus pais, meus irmãos, esposa, filhos, sobrinhos, etc...
Isso até depois da meia noite, onde meu sobrinho mais velho (que 20 anos) pegou o sua Saveiro que tem um som mais caro que o próprio carro e colocou uma música eletrônica mais tosca que já ouvi na minha vida! Não sou aqueles músicos que desprezam o estilo eletrônico incluindo gosto muito de músicos como Erasure, Modern Talkin, Taio Cruz, David Guetta, Fat Boy Slim, mas meu sobrinho tocou no som quase no "talo" a mesma música que nem tive coragem de perguntar o nome e tudo o que sei que era um bumbo, com pianinho tipo Casio CTK 501 e o cara falando alguma coisa atrás e não entendia nada o que ele dizia porque os "graves" simplesmente encobriam as frequências "médias" que são as frequências da fala e como  essa música tem graves que geralmente é algo que nosso ouvido não compreende direito, quase não dava para ouvir o cantor.